Busca Ativa Escolar - 10/05/2019, 15:45

Reunião discute estratégias de mobilização do Projeto Busca Ativa Escolar em SMT

A reunião foi conduzida pelo coordenador da educação, Herton Vieira, e pela articuladora do Selo UNICEF, Poliana Marques Beserra, que destacaram que a plataforma é desenvolvida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e o Instituto TIM.


Divulgação Midi 60172304 355526525311094 2580036246831104000 n

Agentes Comunitários do Busca Ativa Escolar, que é uma plataforma gratuita para ajudar os municípios a combater a exclusão escolar, estiveram reunidos na manhã de hoje, 10 de maio, no auditório do Programa Bolsa Família com o objetivo de discutir estratégias de mobilização, acesso a plataforma e gerar alerta sobre a implementação da plataforma no município.

A reunião foi conduzida pelo coordenador da educação, Herton Vieira, e pela articuladora do Selo UNICEF, Poliana Marques Beserra, que destacaram que a plataforma é desenvolvida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e o Instituto TIM.

Na oportunidade foi feita uma parceria com as ações do Busca Ativa Escolar com a notificação dos casos de Registro Civil no município.

A intenção é apoiar os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou em risco de evasão. Por meio da Busca Ativa Escolar, municípios e estados terão dados concretos que possibilitarão planejar, desenvolver e implementar políticas públicas que contribuam para a inclusão escolar.

A Busca Ativa Escolar reúne representantes de diferentes áreas – Educação, Saúde, Assistência Social, Planejamento – dentro de uma mesma plataforma. Cada pessoa ou grupo tem um papel específico, que vai desde a identificação de uma criança ou adolescente fora da escola até a tomada das providências necessárias para a matrícula e a permanência do aluno na escola. Todo o processo é feito pela internet e a ferramenta pode ser acessada em qualquer dispositivo como computadores de mesa, computadores portáteis, tablets, celulares (SMS) ou celulares (smartphones). Há também formulários impressos para agentes comunitários e técnicos verificadores que não têm acesso a dispositivos móveis.


Fonte: Redação: Filipe Germano
Comentários