Treinamento - 09/08/2018, 15:02

Pontes Indústria de Cera promove treinamento de produtores e trabalhadores rurais em SMT

A programação contou com palestra sobre: o uso e conservação do EPI; Legislação Trabalhista; Boas Práticas de Fabricação; Manejo da Carnaúba e Controle da Boca de Leão.


Filipe Germano Midi img 4879

A Pontes Indústria de Cera promoveu na manhã desta quinta-feira, 09, no município de São Miguel do Tapuio, Piauí, palestras e treinamentos para produtores e trabalhadores rurais que atuam na área de extrativismo vegetal, em especial a carnaúba.

O evento deu início às 08h e foi sediado no auditório Carvídeo Aurélio Sampaio, situado na Câmara Municipal de Vereadores. A programação contou com palestra sobre: o uso e conservação do EPI; Legislação Trabalhista; Boas Práticas de Fabricação; Manejo da Carnaúba e Controle da Boca de Leão.

Cerca de 50 pessoas participaram do treinamento que foi mediado pela equipe da Pontes, composta pelo gerente de produção Gerardo Albuquerque, contador Ulisses Rocha, advogado Alexandre Vasconcelos e o advogado Ricardo Queiróz.

Gerardo destaca que "A nossa campanha e de conscientização  dos trabalhadores rurais com o a anuência do Ministério do Trabalho"

Durante o evento os trabalhadores receberam certificação por ter concluído o Treinamento de Uso de EPI’S, Boas Práticas de Fabricação e Manejo Adequado da Carnaúba com carga horária de 4h, além de receberem um kit com os equipamentos, composto por óculos de proteção, chapéu de palha, luvas de algodão, bota cano curto, máscara respiratória, protetor auricular e garrafa térmica de 5l.

De acordo com o advogado Alexandre Queiroz, o evento é uma campanha educativa para fomentar produtores, empregados e indústria, para que ambos trabalhem em conformidade com a legislação, legalizados. “A base da campanha é explicar sobre a legislação trabalhista, fomentando o vínculo empregatício, o uso obrigatório do EPI’S, condições de higiene e saúde no trabalho, juntamente com boas práticas e manejo extrativista da carnaúba” destacou.

“Durante a apresentação é exposto as regras e normas que devem ser observadas de acordo com a legislação. Debatemos principalmente a importância da carteira de trabalho assinada, que além de assegurar benefícios sociais ainda é prova do exercício de trabalho rural” destacou Alexandre.

Em entrevista o gerente de produção, Gerardo Albuquerque, e o vice-prefeito da cidade, Miguel Vieira, destacaram a importância da realização do evento para os trabalhadores do município. Confira no vídeo abaixo:

ECONOMIA DA CARNAÚBA

A economia da carnaúba consiste no conjunto de atividades que utilizam as folhas, o caule, o talo, a fibra, o fruto e as raízes dessa palmeira para a fabricação de inúmeros produtos artesanais e industriais. Destaca-se a extração do pó de carnaúba, a partir das folhas, por sua importância na geração de emprego e renda complementar no campo e por ser a matéria-prima da cera, que possui inúmeras aplicações no ramo industrial.

O extrativismo da carnaúba é uma atividade com relativa importância, visto que ocupa, direta e indiretamente, em torno de 200 mil pessoas, com a maior concentração de ocupações nas fases de corte, secagem e extração do pó, no período de safra (entressafra das culturas alimentares básicas). Nas indústrias de cera, o número de pessoas ocupadas não ultrapassa mil.

A cadeia produtiva da carnaúba envolve o proprietário rural (nem sempre produtor de cera), o rendeiro (arrenda o carnaubal, contrata trabalhadores para as operações de campo e, às vezes, faz o beneficiamento artesanal – pode ser também proprietário rural), o trabalhador extrativista (faz o corte e a secagem da palha), o operador da máquina de bater e ajudantes (fazem o trabalho de separação entre pó e palha), a riscadeira e o batedor de palha (fazem a separação entre pó e palha, quando a extração do pó é manual), o trabalhador da indústria artesanal de cera (elabora a cera de origem: prenseiro ou prensador, fogueiro ou cozinhador), o artesão que trabalha com a palha, o fabricante de chapéu ou vassoura, o industrial (ou refinador) da cera (que realiza o beneficiamento ou refino, podendo também fazer o papel de exportador), o corretor de exportação, o atravessador, o agiota e o importador.

No Piauí, registra-se a extração de pó de carnaúba em aproximadamente 100 municípios situados nas quatro mesorregiões do estado: Centro Norte, Norte, Sudeste e Sudoeste. A mesorregião Norte concentra as maiores produções, sendo os municípios de Piripiri e Campo Maior os maiores produtores. (IBGE, 2008). O período de exploração dos carnaubais geralmente ocorre entre os meses de julho a dezembro


Fonte: Redação: Filipe Germano
Comentários